Buscar

Como abordar com seus filhos a luta contra o racismo

Atualizado: Jun 20


Durante séculos a população negra sofreu e ainda continua sofrendo com o racismo estrutural da nossa sociedade e com a falta de oportunidades, como educação e emprego. A desigualdade social que assola o país e o mundo está relacionada a segregação racial, além das concentrações desproporcionais de distribuição de renda. Os negros que antes eram escravizados e foram libertos depois de muita luta, continuam marginalizados na sociedade por não terem acesso a educação de qualidade, sendo mortos e negligenciados pela justiça, além de sofrerem todo tipo de preconceito.


A sociedade ocidental foi construída em cima de valores racistas, na qual o negro foi visto e vendido como objeto, propriedade comercial e trabalho escravo. No Brasil, a colonização utilizou o regime escravocrata, sendo, inclusive, o último país independente do ocidente a abolir a escravatura. Então como começar a mudar essa condição racista enraizada na sociedade? A resposta é: dentro de casa. A maioria dos comportamentos sociais dos indivíduos é baseado nas experiências de vida e da relação pessoal com quem está ao nosso redor, como por exemplo, a nossa família. A educação dos pais para com os filhos pode trazer a todos nós um futuro mais igualitário, com respeito a todas as diferenças e consequentemente reparar historicamente os séculos de racismo que a população negra sofreu.


Sendo assim a educação que vem de casa é de extrema importância para o processo de desconstrução do racismo da nossa sociedade e para ajudar a lidar com esse tema necessário nos dias de hoje, trouxemos algumas dicas de como abordar esse tema com as crianças.


1. Seja um exemplo

Você como adulto e responsável pela criança, precisa dar o primeiro passo na construção desse diálogo. Comece fazendo uma autoavaliação do seu comportamento adiante o diferente, ou nesse caso, a população negra. Você costuma ter comportamento racista? Faz piadas de cunho racista? Costuma falar palavras que remetem ao racismo ou que acabam criando uma versão estereotipada racista? Quem são seus amigos mais próximos? Estão cercados de pessoas negras apenas como funcionários? É necessário ser autocrítico, pois o melhor ensinamento é aquele que podemos servir de exemplo.


2. Mostre a diversidade

O diálogo começa a ser estabelecido a partir desse ponto. As crianças são observadoras e se você mostrar a ela que o mundo é diverso e que existem pessoas com variadas características, vai ser um passo para que ela olhe o outro com respeito e entenda a diversidade. Converse com naturalidade, e aproveite algumas perguntas que seu filho pode fazer como: “por que aquele coleguinha tem outra cor de pele?” ou “por que meu cabelo é liso e o dele é encaracolado?”. Independente da idade, converse e repreenda seu filho caso o mesmo participe de alguma brincadeira racista e mostre-o que esse tipo de prática causa sofrimento ao outro, sendo, portanto, completamente inadmissível.


3. Referências negras

Como citado anteriormente, o exemplo pode ser um grande aliado a essa luta e referenciar as crianças com pessoas importantes e conhecidas que sejam negras, como por exemplo, o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama, é essencial. Isso mostra que pessoas negras estão em todos os lugares e que podem ocupar lugar de destaque, eliminando o sentimento de inferioridade negro gerado pelo racismo. No lazer, podemos inserir brinquedos como bonecas negras, que há poucos anos, sequer existia. Na cultura, escritores, artistas, atores e cantores negros estão em destaques, então que tal presentear seu filho com um livro de um autor negro?


É muito necessário nos tempos atuais abordar esse tema dentro da nossa família. O racismo está presente na nossa sociedade e a única forma de eliminarmos esse problema é com diálogo e educação, mostrando aos nossos filhos que o mundo é diverso e que todas as pessoas precisam ser tratadas de forma igualitária e empática. Não existe uma fórmula mágica e o racismo não vai sumir do dia para a noite, mas aos poucos e fazendo nossa parte poderemos nos livrar desses estigmas. Não seja racista, mas acima de tudo, seja anti-racista.


Fonte:

https://br.guiainfantil.com/blog/educacao/aprendizagemensine-ao-seu-filho-a-nao-discriminar-e-a-respeitar-as-diferencas/

https://emais.estadao.com.br/noticias/comportamento,racismo-na-infancia-como-criar-criancas-livres-de-preconceito,70003093787

https://revistacrescer.globo.com/Criancas/Comportamento/noticia/2018/03/racismo-como-falar-sobre-isso-com-criancas.html

https://bebe.abril.com.br/familia/como-falar-sobre-racismo-com-as-criancas/

11 visualizações

Redes Sociais

  • Ícone branco do Facebook
  • Ícone branco do Instagram

Fale conosco

Tel: (79) 3248-1531

E mail: escolasantafe@gmail.com

Endereço

Rua João Muniz Barreto, 92, Farolândia, Aracaju - SE -
CEP: 49 030 - 430